© 2017 by GanjaTalks

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Movimento pró-cannabis cresce na NFL

03/09/2017

 

 

Nos últimos meses o crescimento da indústria canábica tem afetado praticamente todos os âmbitos da sociedade norte-americana, tanto que chegou ao mundo dos esportes. Uma das principais ligas nacionais dos Estados Unidos, a NFL, liga nacional de futebol americano, tem se visto em meio a um intenso debate sobre cannabis, política de drogas e mudanças no regulamento da competição.

 

A política de drogas da NFL é clara: o uso da maconha é proibido e pode causar desde uma suspensão e multa em dinheiro para o jogador, até uma penalização mais contundente, como uma exclusão permanente da liga. Porém, um número crescente de médicos, especialistas, ex-jogadores e jogadores estão demandando uma mudança por parte da liga nesse sentido. 

 

O motivo da mobilização desses grupos são os efeitos medicinais e benefícios trazidos pelo tratamento da cannabis para dores crônicas e por suas propriedades neuroprotetoras. Com os avanços medicinais da cannabis nos últimos anos, a voz de jogadores e principalmente, ex-jogadores ganhou mais expressão, exigindo mudanças por parte da comissão disciplinar da liga.

 

No último Super Bowl, um grupo de ex-jogadores pediu de maneira mais contundente uma ação de mudança da NFL. O ex-quarterback do Chicago Bears, Jim McMahon, afirmou ter feito uso de cannabis para combater as fortes dores que sentia durante as 15 temporadas em que jogou na elite do futebol americano. McMahon ainda relatou que o uso da cannabis não trouxe efeitos colaterais como o opióide que usava, o Percocet.

 

Eugene Monroe, aposentado na última temporada, é ex-jogador do Baltimore Ravens, e tem feito uso de óleos de CBD para se prevenir de doenças neurodegenerativas, como Mal de Parkinson e Alzheimer, que frequentemente acometem ex-jogadores de futebol americano, devido ao contato intenso e repetitivo sofrido durante os anos de atividade. Além disso, Monroe afirma que o óleo ajuda com as dores musculares, muito comuns quando se joga em alto nível por um longo período. 

 

No começo desse ano, a Associação de Jogadores da NFL decidiu entrar com um pedido formal junto à liga para demandar uma reforma na políticas envolvendo o uso de cannabis para tratamentos alternativos, principalmente em detrimento de opióides, que vêm causando uma crise nos Estados Unidos nos últimos tempos.

 

Em 2014, liga e associação já haviam entrado em um acordo no qual a quantidade de THC permitida pela entidade foi ampliada, porém, as medidas de suspensão e multas não foram alteradas. O debate entorno do futebol americano junto à cannabis mostra que profundas mudanças estão por vir, não sendo mais uma questão de "se" mas sim de "quando" vão ocorrer. 

 

Fontes: http://edition.cnn.com/2016/11/11/health/nfl-marijuana-stance/

http://www.thecannabist.co/2017/02/03/nfl-marijuana-policy-alternative-to-opiods/73040/

http://www.thecannabist.co/2017/01/25/nfl-marijuana-proposal-approach/72142/

http://www.thecannabist.co/2017/03/08/marvin-washington-nfl-cbd-cannabis-industry/74674/

Imagens: weedist.com/; marijuana.com/; 420intel.com

Please reload

gt-banner-quadrado-volta-ao-mundo.gif

destaques

Please reload

nas redes sociais

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

INSTAGRAM