Extrações com e sem solventes: qual a diferença?

01/15/2019

 

A extração de cannabis é um processo simples, que a humanidade vem usando há séculos. Há muitos registros de pessoas usando chá de cannabis, haxixe ou tinturas em tempos antigos - a primeira menção ao hash remonta ao ano 900 na Arábia, onde as pessoas costumavam comê-lo em vez de fumar.
 

De lá para cá, a ciência por trás da extração de cannabis evoluiu significativamente, com diferentes métodos para produzir os mais variados concentrados. Existem dois grupos principais nas extrações de cannabis: os sem solventes, que são produzidos mecanicamente, com nada além de água (que, tecnicamente, é um solvente) e os “à base de solventes”, sendo comum para tais processos o uso de produtos como butano e propano. 

 

Do ponto de vista dos efeitos, cada processo tem suas vantagens específicas. Porém, quando o assunto é redução de danos durante o processo, as extrações sem solventes são mais vantajosas. Em entrevista ao Ganja Talks, Marcus Bubbleman, especialista em extrações sem solventes e professor do curso sobre o assunto no Ganja Talks University, explica a diferença:

 

"(A extração sem solventes) usa a técnica de isolamento, que especificamente consiste em uma separação mecânica, que isola as cabeças de tricoma, intactas, do resto da matéria. As extrações com solvente, por sua vez, derretem de fato as cabeças da planta, que depois são coletadas quando os solventes evaporam e o medicamento é o que fica. Para mim, compartilhar técnicas sem solventes é muito mais seguro para ensinar as pessoas, que são suscetíveis a erros aqui e ali... Nos métodos sem solventes, o pior cenário é um derramamento de água, enquanto com solventes, é uma explosão, o que pode ser extremamente perigoso". 

 

Confira, a seguir, três métodos de extrações de cannabis sem solventes: 

 

Water hash

 

Aperfeiçoado por Marcus Bubbleman, o método de extrações de cannabis conhecido como water hash usa água e gelo em um kit de bolsas com telas na base, as Bubble Bags, para quebrar os tricomas da planta, que atravessam telas, de diâmetros diferentes, e se depositam nas bags de acordo com sua dimensão. 

 

Dry sift

 

O método de peneiração a seco, ou dry sift, usa telas para, mecanicamente, separar os tricomas do material vegetal, que caem através da peneira em uma mistura de pó fino.


Rosin

 

Muito popular, o Rosin é produzido em uma máquina, a partir de variáveis de calor e pressão, e pode ser extraído de flores, hashs ou dry sifts. O concentrado, se feito adequadamente, pode manter todos os terpenos aromáticos e elevar a potência de THC do produto em até 70%.

 

Saiba mais em:

Ganja Talks University

Please reload

gt-banner-quadrado-volta-ao-mundo.gif

destaques

Please reload

nas redes sociais

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

INSTAGRAM

© 2017 by GanjaTalks

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square